Estágios do sono: REM vs. sono profundo vs. sono leve

Durma em uma das coisas mais fascinantes sobre o comportamento humano (e animal). É uma função involuntária do nosso corpo, na qual passamos horas deitados, indiferentes ao ambiente. O fascínio pelo sono existe há milhares de anos.

A psicologia tem explorado as maravilhas do sono e dos sonhos por séculos, e o que sabemos sobre essa incrível ocorrência do dia a dia ainda é escasso. Como o sono tem tudo a ver com a atividade cerebral, ainda é uma área de interesse para muitos pesquisadores e médicos.

No entanto, o que sabemos sobre o sono é que ele consiste em diferentes ciclos. A atividade cerebral durante esses ciclos é diferente, o que nos ajuda a compreender e caracterizar a atividade cerebral e os efeitos do sono em nosso ser mental e físico e na saúde.

É por isso que decidimos examinar mais de perto os diferentes estágios do sono, como eles são caracterizados e como nosso cérebro e corpo respondem a cada um.

A anatomia do sono – como adormecemos?

Para entender os estágios do sono, é importante entender as  estruturas cerebrais  envolvidas no sono;

  • Hipotálamo – uma pequena região do cérebro responsável por inúmeras funções corporais. O hipotálamo consiste em grupos de células nervosas que atuam como o principal centro de controle da temperatura corporal, da excitação e do sono.

    Essas células nervosas recebem as informações necessárias de nossos olhos, quando estão diretamente expostas à luz e quando não estão. Dessa forma, o comportamento do sono é controlado, bem como os ritmos circadianos e os ciclos do sono.

    Simplificando, quando fechamos os olhos para dormir, o hipotálamo recebe isso como uma ordem para controlar o início e o ciclo do sono.

  • Tálamo – uma pequena estrutura dentro do cérebro responsável pelos sinais e funções motoras e sensoriais. O Thalamus transfere as informações que recebemos por meio dos sentidos para o córtex cerebral.

    Então, o cérebro processa as informações da memória de curto a longo prazo. Em relação ao sono, o tálamo não processa os sentidos e as informações quando dormimos.

    É por isso que você é capaz de se dissociar do mundo real e entrar no mundo dos sonhos. Quando sonhamos, o tálamo se torna ativo, respondendo às sensações que experimentamos nos sonhos.

  • Tronco cerebral – a base do cérebro responsável pelo fluxo de mensagens entre o cérebro e o resto do corpo.

    O tronco cerebral também é responsável por inúmeras funções corporais, incluindo engolir, respirar, frequência cardíaca, pressão arterial, consciência e, claro, estar acordado e dormindo.

    O tronco cerebral, juntamente com o hipotálamo, reduz a atividade cerebral e promove o sono. Além disso, o tronco encefálico desempenha um papel importante no estágio REM, pois relaxa nossos músculos e membros durante o sono.

  • Glândula pineal – uma pequena glândula em forma de ervilha responsável pela regulação hormonal. A glândula pineal é especialmente famosa por sua produção de melatonina, um hormônio responsável pela regulação dos padrões de sono.

    A glândula pineal também responde à exposição à luz e entende que a falta de luz (olhos fechados) deve iniciar a produção de melatonina.

  • Prosencéfalo basal – a área frontal do cérebro responsável pela vigília e promoção do sono pela liberação de adenosina (uma substância química que apóia a pulsão do sono).
  • Amígdala – um pequeno conjunto de neurônios responsáveis ​​pelo processamento das emoções. A amígdala é especialmente ativa durante o sono REM, pois ajuda a processar a memória em relação a experiências emocionais anteriores.

Estágio de Sono – Sono Leve (sono não REM)

O sono leve ocorre bem no início do primeiro estágio do sono. É considerada uma fase preparatória, onde o corpo começa a se acalmar, a respiração e os batimentos cardíacos diminuem e os músculos começam a relaxar. O sono leve também é conhecido como   sono não REM e tem três estágios;

  • Estágio 1 – o centro de controle nervoso do cérebro torna-se ativo e reconhece as mudanças no comportamento, especialmente entre a vigília e a sonolência.

    Durante este estágio, o cérebro se concentra na transição entre estar acordado e estar dormindo. Esse estágio dura pouco, ocupando aproximadamente 3% de todos os ciclos de sono pelos quais seu corpo passa.

    Durante esta fase, seu corpo está no chamado modo de relaxamento em vigília. É muito fácil acordar desta fase e ter o seu ciclo de sono totalmente interrompido.

  • Etapa 2 – o modo de espera é totalmente iniciado neste ponto. A atividade cerebral diminui e não há movimento rápido dos olhos.

    Durante esse estágio, a atividade cerebral tende a explodir de vez em quando; isso significa que a memória está sendo processada da memória de curto para a memória de longo prazo.

    Isso também significa que o corpo passou da fase de relaxamento da vigília para a fase de sono. O corpo está completamente relaxado, os membros e músculos podem reagir a certos estímulos externos, na forma de espasmo muscular ou espasmos repentinos.

  • Estágio 3 – neste ponto, você entrou no sono e está prestes a entrar em um sono profundo. Isso ocorre por volta de 45 minutos na fase de sono.

    A respiração neste estágio está estável e regular; entretanto, a pressão arterial cai e o pulso fica 30% mais lento quando comparado com a taxa de vigília. O corpo para de responder a estímulos externos e é difícil acordar.

Estágio do Sono – Sono Profundo

O sono profundo ocorre em 45 a 90 minutos no ciclo do sono. É considerada a parte mais importante do ciclo do sono. A razão para isso está no fato de que o corpo se recupera completamente durante o sono profundo. O corpo está relaxado e pronto para acumular energia para o dia seguinte, curar ferimentos e doenças e, em geral, está focado em lidar com qualquer dano ao corpo.

O sono profundo é freqüentemente referido como sono de ondas lentas ou sono delta. O sono profundo pode durar entre 45 e 90 minutos e freqüentemente ocorre várias vezes durante o ciclo do sono. A primeira fase do sono profundo dura mais, enquanto cada nova fase é mais curta.

O sono profundo se confunde com o sono leve em indivíduos saudáveis. Normalmente, o sono profundo ocorre mais na primeira metade da noite, enquanto o sono leve ocorre mais na segunda metade da noite.

Em alguns indivíduos, o sono profundo não ocorre ou ocorre apenas em sua primeira fase. A falta de sono profundo geralmente leva a condições de sono, como insônia, interrupção do sono , apnéia do sono , ansiedade, depressão e, em geral, podem afetar negativamente a saúde.

Estágio do sono – REM (movimento rápido dos olhos)

Seguindo o sono leve e profundo, REM é a fase do sono em que penetramos mais profundamente no estado de sono; muito mais profundo que eventualmente começamos a sonhar. REM é o único estágio do sono em que podemos sonhar.

Durante esse estágio, nossos olhos se movem rapidamente e a atividade cerebral é incrivelmente alta. Todo o corpo está dissociado da realidade, e as experiências / emoções nos sonhos agora parecem reais.

O corpo apenas reage aos eventos do sonho e os processa como memória e informação. REM é um dos estágios mais famosos e interessantes do sono. Aqui estão algumas outras características interessantes  do sono REM

O primeiro ciclo REM dura aproximadamente 10 minutos, entretanto, cada novo ciclo REM dura progressivamente mais.

O sono REM é caracterizado por movimentos rápidos dos olhos; os olhos se movem rapidamente da esquerda para a direita sob as pálpebras fechadas. Acredita-se que o movimento dos olhos está diretamente ligado ao sonho.

Durante o sono REM, as pessoas têm alguns dos sonhos mais vívidos. Se acordarmos diretamente do sono REM, seremos capazes de nos lembrar dos sonhos em grande detalhe.

Em comparação com o sono leve, durante o estágio REM, nossa frequência cardíaca e a pressão arterial aumentam. No entanto, a temperatura corporal cai drasticamente, e nosso corpo está no estado de estar quase completamente imóvel. As pernas e braços parecem paralisados; Acredita-se que isso seja uma barreira neurológica que nos impede de reagir ou encenar sonhos.

Durante o sono REM, nossa respiração se torna mais rápida e superficial do que nos estágios anteriores do sono.

Tudo o que aprendemos, lemos, vimos, ouvimos ou sentimos está sendo processado na memória de longo prazo durante o sono REM.

Alguns animais, como girafas, cavalos ou elefantes, passam 1 hora por dia em sono REM. Outros animais, como gatos ou furões, podem passar até 8 horas diárias no sono REM. Os humanos, por outro lado, costumam ter entre 1 e 4 horas de sono REM, se forem saudáveis ​​e não sofrerem de distúrbios do sono.

Certas regiões do cérebro que controlam o movimento muscular são ativas apenas durante o sono REM. É por isso que experimentamos contrações e espasmos distintos que podem ser facilmente identificados.

Ao acordar no meio do sono REM, é fácil voltar a dormir. A razão para isso está no fato de que nosso cérebro reconhece a necessidade de mais sono, e que o efeito de despertar do sono REM ainda não foi alcançado.

Leia mais :  Quanto sono profundo você precisa?

Como passamos pelos estágios do sono?

Explicamos o processo de adormecer. No entanto, não podemos deixar de nos perguntar como é que passamos por um ciclo de sono de várias horas. Como nosso corpo mantém essa função por tanto tempo? Veja como;

  • Ritmos circadianos – também conhecidos como padrão de sono, os ritmos circadianos são as mudanças físicas, mentais e comportamentais pelas quais nossos corpos passam todos os dias.

    Essas mudanças geralmente se referem à luz e escuridão, ou vigília e sono. Por causa dessas mudanças, nosso corpo fica acordado ou sonolento.

    Os ritmos circadianos controlam o momento em que você sentirá sono e quando terá vontade de acordar, pois eles se sincronizam com suas atividades diárias e o nível de cansaço ou descanso.

  • Homeostase sono-vigília – também conhecida como regulação natural do equilíbrio entre o sono e a vigília. A homeostase do sono é um lembrete ao corpo de que ele precisa dormir.

    Quanto mais horas você fica acordado, mais forte se torna a homeostase do sono. Isso significa que, ao adormecer, você dormirá mais e terá maior probabilidade de experimentar as fases de sono profundo várias vezes.

Resumo

A importância e as funções benéficas do sono são inegáveis. O sono é certamente um dos aspectos mais interessantes e misteriosos da vida humana e animal.

Assim como telefones, laptops e outros gadgets, humanos e animais também precisam se recarregar para desempenhar plenamente as atividades e obrigações diárias.

Nossos corpos são realmente incríveis; não é de admirar que os cientistas tenham ficado fascinados por dormir há centenas de anos. De Sigmund Freud, que era fascinado pelo sono em relação aos sonhos, a Eugen Aserinsky, que descobriu o sono REM, nossa necessidade de saber mais sobre o estado de sono provavelmente nunca cessará.

Dr. Ángel Barba Vélez

O especialista Dr. Angel Barba, possui vasta experiência em Angiologia e Cirurgia Vascular. Tem o conhecimento necessário para prestar um serviço da mais alta qualidade e centenas de pacientes satisfeitos garantem. A formação e currículo profissional do Dr. Barba é muito extensa, e o destaque são mais de 200 apresentações, publicações. participação em congressos e conferências, além de inúmeros prêmios e cargos em diferentes organizações que confiaram em sua sabedoria e experiência.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *